Videogames Portáteis tomam conta da Próxima Geração de Consoles

Videogames Portáteis tomam conta da Próxima Geração de Consoles

Apresentados na CES (Consumer Eletronic Show) 2013 consoles portáteis e mini-consoles prometem dominar a próxima geração.

Como já falado na palestra que apresentamos sobre o futuro dos games no I Geekontro, essa geração deveria estar repleta de transformações na área de games e a principal seria a mobilidade.  Bem, nós acertamos em cheio! As empresas estão investindo forte nessa área mobile, mas veja bem, não são apenas smartphones ou os famigerados gameboys. Essa leva de consoles portáteis promete mais que apenas a opção de jogar em qualquer lugar.

Os consoles estão conectando às TVs, acessando Wi-Fi, integrando com consoles e PCs e até passando jogos via streaming. Sem falar que há ainda a possibilidade do suporte ao Cloud Gamming, mas acho que isso vai ficar para outro momento.

De toda forma, andei colhendo algumas informações para dar uma clareada sobre cada console que está por vir.

1-                  Shield da NVidia

Nvidia Shield

Nvidia Shield

O dispositivo que parece com um joystick do Xbox 360, possui uma tela de 5” polegadas sensível ao toque e acesso Wi-Fi. Roda o SO Android e dessa forma, também roda os jogos feitos para Android. Falamos mais sobre ele no post dedicado à mostra do Shield.

O diferencial do Shield é que ele consegue se conectar com seu computador através de uma rede Wi-Fi e permite jogar os jogos que o usuário tenha no PC. Os jogos, o processamento e a instalação ficam inteiros no PC, apenas as imagens e os comandos são as informações trocadas entre os dois dispositivos. Porém essa funcionalidade só será possível se o PC tiver instalado uma placa gráfica razoavelmente nova e da própria empresa.

Prós: A possibilidade de conexão com PC e TV, assim o dispositivo já nasce com uma gama de jogos bem avantajada. Portátil e tela com touch facilitam bastante além de abrir a possibilidade de tela dupla (a exemplo o mobile da Nintendo). O formato do joystick já é bem familiarizado para quem tem um Xbox ou mesmo só usa o joystick no PC.

Contras: Os jogos para PC podem não se adequarem ao tamanho da tela do portátil, estragando parte da experiência de jogo. Os jogos do Android normalmente não são projetados para uso de joystick, então haverá perda de jogabilidade. A tela sendo touchscreen ainda assim interfere na jogabilidade dos jogos touch, pois normalmente jogos feitos para touch são pensados como uma forma de compensar o joystick na própria tela, adaptando até como se segura o dispositivo com touch, o que não será possível experienciar  com um joystick acoplado a tela.

A Nvidia não revelou data nem preço do lançamento, apenas que lançará ainda este ano.

 

2-                  Piston, da Valve

Valve Piston Steambox

Valve Piston Steambox

A Valve vem falando a muito tempo sobre o lançamento de um console próprio, o Steam Box, que inclusive já falamos aqui. Entretanto na CES 2013 a empresa mostrou o Piston. Um mini-computador de ponta capaz de rodar qualquer jogo para PC através de sua plataforma, a Steam. Conecta-se à TV através de cabo HDMI.

O Piston vem de fábrica com SO Linux, mas a empresa disse que o usuário poderia instalar qualquer outro que o usuário tenha interesse.

Não há como fazer Prós e Contras nesse momento por termos pouca informação até agora, mas de cara podemos pensar no Piston como um mini-pc que conecta a Steam como seu dashboard e substitui o monitor por uma TV.

A empresa disse ainda que o Piston não será o único dispositivo que eles lançarão e que está mantendo contatos para que outro lançamento saia também este ano. A Valve ainda não informou as configurações do aparelho, nem o preço nem data de lançamento.

Valve Piston atrás da TV

Valve Piston atrás da TV

 

3-                  Archos GamePad

Archos GamePad

Archos GamePad

Foi apresentado também o GamePad que até então é o menos conhecido. Ele tem formato familiar, bastante parecido com o PS Vita, o portátil da Sony.  O GamePad (acho que esse nome é genérico demais para um dispositivo) possui processador Dual Core de 1,6Ghz e memória de 1Gb de RAM.  O que não é grande coisa frente aos concorrentes, entretanto a Archos acredita que o seu diferencial possa ser um sistema de mapeamento dos touches para os comandos do joystick (o que é difícil imaginar que vá ser uma boa experiência). Também tem acesso Wi-Fi, possui placa gráfica quad-core e uma tela capacitiva de 1080p em 7” polegadas.

O GamePad também roda o SO Android 4.1 e assim todos os jogos do sistema.

Prós: Conforme anúncio, o portátil deverá ser vendido por cerca de U$ 200,00 (duzentos obamas) o que podemos cambiar em uns R$ 400,00 (quatrocentas dilmas) (mas sabemos que aqui sempre há um incremento nesse preço, então podemos esperar algo um pouco mais caro). É um portátil que também já nasce com uma grande biblioteca de jogos. E se o sistema que mapeia os gestures touches para o joystick funcionar bem, pode ser seu diferencial.

Além de tudo isso ainda pode ser utilizado como tablet.

Contras: Não oferece as mesmas facilidades dos demais como conexão com a TV e reprodução de jogos via streaming. Integrado totalmente com o Google Play, o que significa que nem todos os games são disponíveis a todas as regiões e no dispositivo nem todos os tamanhos de arquivos são aceitáveis. Além de algumas resoluções não poderem ser compatíveis.

Archos GamePad em uso

Archos GamePad em uso

Em resumo, podemos dizer que é um tablet Android com um sistema de mapeamento dos touches para os joysticks. As especificações técnicas detalhadas podem ser vistas diretamente no fabricante, mas vou deixar aqui também para registro.

Display • 7’’: 1024×600 capacitivo 5 pontos multitouch
Application Framework • Android 4.1 Jelly Bean
Processador • ARM CORTEXTM dual-core A9 @ 1.6GHz
• GPU quad-core Mali 400 MP
• 3D OpenGL (ES 2.0)
Capacidade • Flash Memory: 8GB* + microSD Slot (SDHC compatível até 32GB)
RAM • 1GB RAM
Video playback1 • H.264 HD (até 1080p@30 fps)
• MPEG-42 HD (até 1080p@30 fps)
• Codecs, o dispositivo pode tocar vídeo e áudio com as seguintesextensões:AVI, MP4, MOV, 3GP, MPG, PS, TS, MKV, FLV
Audio Playback1 • MP3
• WAV (PCM/ADPCM)
• AAC3, AAC+ 5.13
• OGG Vorbis
• FLAC
Photo viewer4 • JPEG, BMP, PNG, GIF
Webcam • Front camera
Interfaces • USB 2.0: Mobile Transfer Protocol (MTP)
• microSD (SDHC compatível)
• mini HDMI output6(Mini HDMI / HDMI cabo vendido separadamente)
Wireless • Wi-Fi
Outros • Caixa de som interna.
• G-sensor
• Microphone interno.
Power source • Interno: Bateria de Polímero Lithium
• Externa: Adaptador/Carregador de energia
Dimensão & Peso • 229.8 x 118.7mm x 15.4mm (9’’x 4.6’’x 0.6’’)
• 330g (11.6 oz)
Software update • Atualizável por download no site www.archos.com
Requisitos de sistema mínimos: • Microsoft® Windows® 7, Vista, XP, ou maior eWindows Media Player 11
• Mac OS. X com aplicativo de transferência de arquivos (não incluída)
• Linux com ferramenta android MTP (não incluída)
• USB 2.0 interface

 

4-                  Ouya

Ouya Console e Joystick

Ouya Console e Joystick

Acredito ser um dos projetos que obteve maior sucesso no Kickstarter, site de crowd founding, arrecadando mais de 9 milhões de dólares. O Ouya é mais um dispositivo que também roda o Android 4.1 como SO. Possui processador quad-core Tegra 3 e possui 1Gb de memória RAM. Uma configuração bem parecida com o Google Nexus 7. Possui USB, Bluetooth 4.0, conexão Wi-FI e HDMI para passar as imagens de 1080p para a TV.

É um mini-console que acessa a Google Play para baixar jogos para sua memória interna de 8Gb e possui uma joystick wireless. Seu joystick parece uma combinação dos joysticks Xbox 360, PS3 e OnLive. O dispositivo terá suporte até 4 controles simultâneos.

Na equipe de desenvolvimento do  projeto Ouya também estão envolvidos grandes nomes como Ed Fries, ex-executivo da Microsoft e Yves Behar, do projeto “um notebook por criança”.

Ouya Joystick em uso

Ouya Joystick em uso

Prós: O console está para ser lançado em março deste ano nos EUA e custará cerca de U$ 100,00 (cem obamas), o que será muito bem aceito aqui pelo preço cambiado, talvez vendam até nos camelôs. Como os outros por ser Android e Google Play, o Ouya também nasce com uma grande biblioteca de jogos.

Contras: Não possui tela, requerendo uma TV HDMI para seu uso. (nada além do normal de consoles).

 

5-                  Game Stick, da PlayJam

GameStick da PlayJam

GameStick da PlayJam

Este é um dos que achei mais interessantes. É um dispositivo do tamanho de um pendrive que é plugado no HDMI da TV para alimentação elétrica e transmissão de imagem e vem com um joystick (feio e não ergométrico). Também foi um projeto financiado pelo kickstarter, site de crowd fouding.

O GameStick possui um processador Amlogic 8726-MX Dual Core, 1Gb de memória RAM e 8Gb de memória interna. O joystick se comunica com o dispositivo através de Bluetooth. O preço de lançamento está entre U$ 79,00 ~ U$ 100,00 (cerca de R$ 165,00 ~ R$ 210,00).

Prós: O dispositivo é mais um que roda o Android 4.1, logo já nasce com uma variedades de jogos. É pequeno e “invisível” quando plugado à TV. O preço também é um diferencial.

Contras: Concorrente direto do Ouya, também precisa da TV e (em alguns casos) conexão com a internet.

A previsão de lançamento é que seja vendido já em Abril de 2013.

 

6-                  Razer Edge

Razer Edge Console com Joystick

Razer Edge Console com Joystick

Este portátil muito me intriga. Frente aos outros ele é um dos únicos que não roda SO Android.

Com este visual “estranho”, a principal promessa do Razer Edge é suprir a falta de joystick para jogos em tablets. O console só foi anunciado mesmo, ainda não tem nada sobre ele na página da Razer. O mais próximo seria o Razer Blade, que é um notebook.

O Razer Edge, diferente dos demais, roda Windows 8 e dessa forma também contempla os jogos mais simples da Windows Market Place até jogos hardcore para PC.

De toda forma as especificações técnicas do Edge são: Processador Intel Core i5, placa gráfica Nvidia GT640M LE GPU, 4 GB de RAM e um disco SSD de 64 GB para armazenamento. Se achou pouco, então poderá procurar pela versão “Pro” do Razer; com Processador Intel Core i7, placa Nvidia GT640M LE GPU, 8 GB de RAM e disco SSD de 128GB ou 256GB. Ambos com uma tela de 10” polegadas sensíveis ao toque.

Prós: Para garantir uma boa portabilidade do tablet, o joystick pode ser desacoplado para guardar. É um dos lançamentos com maior poder de hardware que está para ser lançado (inclusive, deixa meu desktop comendo poeira). É um tablet Windows 8 com joystick acoplável e removível . O Windows 8 já vem com a proposta de multi-device gamming, ou seja, o mesmo jogo você conseguirá jogar em outros dispositivos, até continuando a mesma partida.

Contras: Principalmente, o preço, cerca de U$ 1.000,00 (mil obamas). Entre outros é que o SO ainda é novo para podermos dizer alguma coisa.

Razer Edge Mobile Console Dock

Razer Edge Mobile Console Dock

 

Nessa leva ainda podemos falar sobre o Wii U, que agora pode parecer ameaçado. Sua proposta era a de poder jogar no tablet e na TV podendo levar o jogo consigo. Entretanto, todos os demais também se preocupam com isso. Exceto os consoles exclusivos para TV.

A configuração do Wii U já foi falada em outro post, então deixemos assim por enquanto. O que eu penso a respeito é que a Nintendo terá de fazer algumas parcerias ou mudar seu plano de negócios “oitentista” para poder continuar no páreo.

Também fui questionado sobre a falta de um dispositivo portátil da Microsoft. Bem, eu acho que eles já estão investindo muita grana e esforços no nas suas plataformas recém lançadas, Windows 8 e Windows Phone 8. O que não seria desculpa para alguns, mas o investimento está sendo direcionado conforme os objetivos da empresa.

O Windows Surface já é por si um console compatível (e até melhor) que alguns citados acima, tanto na configuração, mobilidade, portabilidade e sem dispensar hardware. Qual a única coisa que falta nele para chamarmos de console??…..  um joystick? Bem, pode esperar que deve sair algo nesse sentido. Entretanto, eu só acredito que eles vão fazer isso em meados de 2014, quando o tablet/ultrabook já estiver difundido.

Também encontrei nas entrelinhas da web, o que estão chamando de “Xbox-tablet” ou um possível “Xbox 720”, confira o vídeo:

Pessoalmente, eu acredito que essa nova leva tem seus pontos positivos e negativos. Primeiro o que vejo como positivo é que abre novas possibilidades para todos, tanto desenvolvedores quanto jogadores e isso será muito bom e proveitoso.Inclusive suportarem a mesma plataforma, isso deixa o bem mais fácil a integração e deixa a possibilidade de jogar o mesmo game em diferentes plataformas.

Em contrapartida, são muitos dispositivos fazendo a mesma coisa. Não há tantas diferenças entre eles e isso empobrece muito o mercado que vai deixar na mão do consumidor escolher apenas por… preço, talvez?

Outro ponto negativo é que os hardwares (pelo menos dos dispositivos que rodam android) não são hardwares de ponta e isso indica que será possível rodar jogos mais simples (talvez com muitas horas de jogo, mas gráficos relativamente simples).

Outra coisa é que jogos mobiles são projetados, moldados e compilados com pensamento MOBILE, ou seja, touchscreen e telas reduzidas. Pode ser modificado sim, entretanto jogos que dêem suporte a telas de 50″ polegadas e resolução de 1080p vão causar um dos seguintes efeitos colaterais, senão os dois; jogos que não poderão ser mais jogados em mobiles comuns, como smartphones, ou jogos que não aproveitam os dois mil reais da sua TV. O que também pode vir acompanhado com um substancial aumento nos preços dos jogos.

Ainda teremos de levar em consideração o fato de “quando a google terá uma versão do Android que seja *estável?”, porque com uma versão nova sendo lançada a cada seis meses é muito dificil dos fabricantes desses dispositivos assim como os desenvolvedores acompanharem tanta migração.

However, vamos ver o que acontece. Eu fiquei bastante encucado com isso e gostaria de mais opiniões, tanto dos devs quanto dos players que passam por aqui. Valeu!

Leave A Response

You must be logged in to post a comment.